OS TRES LEÕEZINHOS
Era uma vez, numa determinada floresta, uma leoa-mãe havia dado à luz 3 leõezinhos bem bonitinhos: O Rax, o Rix e o Rex. Um dia o macaco, representante eleito dos animais súditos, malandro e puxa-saco, fez uma reunião com toda a bicharada da floresta e...
 
Você é nosso visitante número:
Visitantes online
O melhor, mais ilustrado e completo site de fábulas e contos do mundo é brasileiro.
 
    

              HÉRCULES, O SUPER-HOMEM GREGO

    Zeus, o rei dos deuses do Olimpo engravidou sua amante Alcmena. Desse colóquio nasceu Hércules. Zeus pretendia que o filho a nascer de Alcmena fosse rei, proclamando tal pretensão. Por essa razão, antes mesmo de nascer, Hércules foi odiado por Hera, a outra mulher de Zeus que pretendia que Euristeu, primo de Hércules fosse rei.  Consta que ainda bebê, Zeus, querendo que Hércules fosse imortal como todos os deuses, pôs o bebê para mamar em Hera, enquanto esta dormia; porém o bebê sugou o leite com tamanha força que Hera, acordando, empurrou o bebê com violência.  O leite espirrado voou pelo espaço sideral e formou a Via Láctea.

    Hera, ainda enfurecida, enviou ao berço da criança duas cobras peçonhentas. Hércules, porém, já com uma força prodigiosa, estrangulou a ambas.

      Mais tarde, já adulto, Hércules casou-se com Mégara, uma princesa tebana. Num acesso de loucura, provocado por Hera, Hércules ateou fogo na casa, matando sua mulher Mégara e seus três filhos. Quando se deu conta da tragédia que havia provocado, o herói, deprimido isolou-se, fugindo para a campo e vivendo sozinho. Foi encontrado por seu primo Teseu, tendo este convencido o herói a visitar e consultar o oráculo em Delfos, para recuperar sua honra. O oráculo exigiu que, como penitência, Hércules deveria executar uma série de doze tarefas, ou trabalhos, estipuladas pelo homem que ele mais odiava – seu primo, o rei Euristeu, que havia herdado o seu direito de nascença e de reinado.

   Mas Euristeu era uma criatura fraca de caráter, medroso e sem qualidades para reinar. Pretendendo afastar Hércules e eliminá-lo exigiu-lhe doze tarefas as quais seriam humanamente impraticáveis.

 Primeiro trabalho: matar o leão de Neméia. A partir de então Hércules passou a usar a pele resistente do leão como armadura. No Peloponeso, estrangulou o Leão de Neméia - filho dos monstros Ortro e Équidna – o qual devastava a região e que os habitantes do local não conseguiam matar. Na segunda tentativa de matá-lo, tendo a primeira sido infrutífera, estrangulou-o. Acabada a luta arrancou a pele do animal com as suas próprias mãos e passou a utilizá-la como peça do vestuário. A criatura converteu-se na Constelação de Leão.
 
 
Hércules e o Leão de Neméia.

Segundo trabalho: matar a Hidra de Lerna, filha monstruosa de duas criaturas grotescas: Equidna e Tufão. Era uma serpente com sete cabeças venenosas, sendo uma delas parcialmente de ouro, e imortal. Hércules queimou todas as cabeças do animal, menos a que era imortal, a qual foi enterrada por baixo de uma pedra. As cabeças, cortadas, se regeneravam mal eram cortadas, e exalavam um hálito que matava quem estivesse por perto. Hércules matou-a cortando suas cabeças enquanto seu sobrinho, com uma brasa, queimava e cauterizava o local para que novas cabeças não nascessem.

  Hércules e a Hidra de Lerna

 


Hercules e a Hidra de Lerna

 

Terceiro trabalho: A captura do javali de Erimanto. Capturou vivo o Javali de Erimanto, que devastava os arredores, ao fatigá-lo após persegui-lo durante horas. Euristeu, ao ver o animal no ombro do herói, teve tamanho medo que foi se esconder dentro de um caldeirão de bronze. As presas do animal foram mostradas no templo de Apolo, em Cumas.

                                                  
 
Hércules e o javali de Erimanto 
 

Quarto trabalho: capturar a corça de Cerinéia, que tinha os cascos de bronze e os chifres de ouro. Alcançou correndo a Corça de Cerínia, um animal lendário, com chifres de ouro e pés de bronze. A corça, que corria com assombrosa rapidez e nunca se cansava, era Taígete, ninfa que, para fugir à perseguição de Zeus foi transformada por Ártemis no animal. Como ela tinha uma velocidade insuperável, Hércules a perseguiu incansavelmente durante um ano até que, exausta, foi atingida por uma flecha disparada pelo herói. Ferida levemente, foi levada nos ombros do herói até o reino de Euristeu. Em outra versão do mito, Hércules tinha de capturar a corça, mas sem machucá-la; ele a perseguiu durante um ano, até conseguir pegá-la com uma rede, porém ela acabou se ferindo. O herói pôs então a culpa em Euristeu, para que Ártemis se zangasse com ele. Em uma terceira versão, Hércules levou um ano para realizar o trabalho a seguir, que era capturar a corça que habitava o monte Carineu. Este animal parecia ser mais tímido do que perigoso, e sagrado para Ártemis; Hércules finalmente aprisionou-a e estava levando-a para Euristeu quando se encontrou com Ártemis, que estava muito zangada e ameaçou matá-lo pelo atrevimento em capturar seu animal; mas quando ficou sabendo sobre os trabalhos, concordou em deixar Hércules levar o animal, com a condição que Euristeu o libertasse logo que o tivesse visto.

 
 
Hércules e a Corça de Cerínia
 

Quinto trabalho: expulsar as aves do lago Estinfale, na Arcádia. Matou no lago Estinfalo, com suas flechas envenenadas, monstros cujas asas, cabeça, e bico eram de ferrro, e que, pelo seu gigantesco tamanho, interceptavam no vôo os raios do Sol. Com seu arco, conseguiu matar alguns e os outros, expulsou a outros reinos.

 


Hércules e as aves de Estinfale 
 

Sexto trabalho: limpar os estábulos do rei Augias, da Élida, em um só dia. Os estábulos estavam muito sujos, mas Hércules desviou o curso de dois rios para passarem por dentro deles e realizou o trabalho. Limpou em um dia os currais do rei Áugias, que continham três mil bois e que há trinta anos não eram limpos. Estavam tão fedorentos que exalavam um gás mortal. Para isso, Hércules desviou dois rios.

 

 
 
Hércules desvia dois rios
 

Sétimo trabalho: capturar o touro selvagem de Minos, rei dos cretenses. O minotauro era uma mescla de homem e touro e habitava em uma caverna perto de Minos.

 

 


Hércules e o Minotauro 
 

Oitavo trabalho: capturar os cavalos devoradores de homens do rei Diomedes da Trácia. Hércules matou Diomedes e deu sua carne aos cavalos. Castigou Diomedes, filho de Ares, possuidor de cavalos antropófagos que vomitavam fumo e fogo. A eles Diomedes dava a comer os estrangeiros que as tempestades e naufrágios arrolavam à sua costa. O herói entregou-o à voracidade de seus próprios animais.


Os cavalos antropófagos, de Diomedes 
 

 Nono trabalho: obter o cinto de Hipólita, rainha das Amazonas, as mulheres guerreiras. Venceu as amazonas, tirou-lhes a rainha Hipólita, apossando-se do cinturão mágico que ela vestia.


Hércules e as amazonas

Décimo trabalho: ir buscar o gado do monstro Gerião, que vivia além das colunas de Hércules (Estreito de Gibraltar). Matou o gigante Gerion, monstro de três cabeças, seis braços e seis asas, e tomou-lhe os bois que se achavam guardados por um cão de duas cabeças, chamado Orto, irmão de Cérbero e um dragão de sete.
.
Hércules e o monstro Gerion.

Décimo-primeiro trabalho: levar as maçãs de ouro do jardim das Hespérides para Euristeu. Colheu os pomos de ouro do Jardim das Hespérides, após matar o dragão de cem cabeças que os guardava. O dragão foi morto por Atlas, a seu pedido, e durante o trabalho, ele sustentou o céu nos ombros no lugar do gigante.

 

Hércules substitui Atlas
 
 Décimo-segundo trabalho: capturar Cérbero, o cão de três cabeças que guardava os infernos, e mostrá-lo a Euristeu. O décimo primeiro trabalho consistiu em trazer do mundo dos mortos o seu guardião, o cão Cérbero. O Hades (inferno) autorizou-o a levar Cérbero para o cimo da Terra sob a condição de conseguir dominá-lo sem usar as suas armas. Hércules lutou com ele só com a força dos seus braços, quase o sufocou, dominando-o.

 

Hércules e o cão Cérbero
 
     Com os três últimos trabalhos, Hércules conquistou a imortalidade, pois Gerião e Cérbero representavam a morte e as maçãs eram o fruto da Árvore da Vida.
      Já senhor de si, Hércules passou a correr mundo, punindo os prepotentes e os malvados. Suas numerosas proezas lhe haviam granjeado uma enorme fama, tanto na terra como no Olimpo, mansão dos Deuses. Quando resolveu casar-se, escolheu a mais bela e a mais bondosa das princesas: Dejanira, filha de Eneu, rei de Calidon.
      Celebradas as núpcias, os noivos seguiram para Tebas. A caminho, com sua mulher Djanira chegaram diante do rio Eveno, que transbordava. Hércules pediu ao centauro Nesso que se dignasse atravessar sua esposa e a carregasse para atravessar o rio Eveno;  ele, Hércules, faria a travessia a nado.  Transposto o rio o centauro passou a galopar rio acima, tentando raptar-lhe a esposa e estuprá-la. O herói, tendo percebido as intenções do animal, retesou seu arco e então atravessou-lhe o coração com uma das flechas envenenadas, com o veneno da Hidra de Lerna.

    Porém, tragédia. O centauro Nesso, ao morrer, disse a Djanira para guardar seu sangue para usá-lo como filtro de amor, convencendo-a de que seria, para ela, um precioso talismã, com a virtude de restituir-lhe o esposo, se este viesse, em qualquer tempo, a abandoná-la. Djanira embebeu sua túnica com o sangue do centauro e guardou-a. Certa vez, Hércules apaixonou-se por Iole, uma mulher que ele havia capturado. Enciumada, Dejanira deu a Hércules, para vestir sua túnica, a qual estava manchada com o sangue de Nesso. Assim que a vestiu, o veneno começou a queimar-lhe a carne. Era o veneno da Hidra de Lerna, que passara para o sangue do centauro, que abrasava-lhe a pele. Não suportando a dor, pediu a seus amigos que o colocassem em uma pira funerária no monte Eta e a acendessem. A pira ardia.  Ouviu-se o ribombar do trovão. Ofuscaram-se os olhos dos presentes. Era Zeus que arrebatava seu filho para o Monte Olimpo e Hércules tornou-se imortal.
 

Fontes consultadas:  

Grimal, Pierre - A Mitologia Grega, SP, ED. Brasiliense.

Kury, Mário da Gama - Dicionário de Mitologia Grega e Romana, RJ, Jorge Zahar Editor.

Quesnel, Alain - Grécia: Mitos e Lendas, SP, Ed. Ática

                       pt.wikipedia.org   Dentre outros.

 

 
Versão para Impressão     
   
Nome:   Luisa
Comentário:  Nossa, site bom, so q vcs ja perceberam q Percy Jackson fez a maioria dessas coisas?
   
Nome:   Rafael Corrêa
Comentário:  Nossa!Nunca vi história tão boa,e ainda é resumida,tirei uma nota máxima!
   
Nome:   Inah
Comentário:  Muito bom, ajudou muito no trabalho da minha filha.
   
Nome:   Fabio
Comentário:  Texto mto bom, Ajudou no meu trabalho
   
Nome:   Pablo Duarte
Comentário:  O texto é ótimo, vai ajudar bastante no meu trabalho...
   
Nome:   iracema murcela silva oliveira
Comentário:  o texto sobre e muito legal o que e mais legal o que mais me chamou atençao foi a hidra de lerna
   
Nome:   Rosyane Lunyer
Comentário:  Era tudo o que eu mais queria para tirar um 10 no meu trabalho de história. Valeu!!



 Envie seu comentário abaixo
Nome: 
E-mail: 
Comentário: 
 Código de validação: 
32220
 
  FÁBULAS
CONTOS
CONTOS de FADAS
ARTIGOS
CRÔNICAS
  LENDAS
FOLCLORE
PARLENDA
TRAVA-LÍNGUAS
1001 PERGUNTAS
DiTADOS POPULARES
CHARADAS
PIADAS
MITOLOGIA GRECO-ROMANA
POESIAS
RELIGIÃO
BIOGRAFIAS
PARTITURAS
CANTINHO DO ALUNO
LOGIN / LOGOUT